tesouro direto…ibovespa hoje

tesouro direto…ibovespa hoje

 

 

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 2,047 bilhões em janeiro, informou hoje (26) o Tesouro Nacional. O valor vendido por meio do programa Tesouro Direto representa queda de 27,6% em relação a janeiro do ano passado, quando haviam sido vendidos R$ 2,829 bilhões, o maior valor para o mês.

O número de investidores ativos somou 1.211.123. Apenas no mês passado, 9.942 participantes passaram a investir em títulos públicos. O número de investidores cadastrados – ativos e não ativos – totalizou 5.945.793 pessoas.

No mês passado, os títulos mais vendidos foram vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia). Esses papéis concentraram 55,7% das vendas em janeiro. Em segundo lugar, vieram os papéis corrigidos pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que responderam por 29,9% das vendas.

Em terceiro, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos antecipadamente), que responderam por 14,4% das vendas. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 1 mil concentraram 67,7% do volume aplicado no mês.        tesouro direto…ibovespa hoje

Com o resultado de janeiro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto teve leve queda de 0,59% em relação a dezembro, alcançando R$ 59,295 bilhões. Isso ocorreu porque, no mês passado, o Tesouro resgatou R$ 3,005 bilhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas possam adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

Vendas do Tesouro Direto caem 27,6% em janeiro

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 2,047 bilhões em janeiro, informou hoje (26) o Tesouro Nacional. O valor vendido por meio do programa Tesouro Direto representa queda de 27,6% em relação a janeiro do ano passado, quando haviam sido vendidos R$ 2,829 bilhões, o maior valor para o mês.

O número de investidores ativos somou 1.211.123. Apenas no mês passado, 9.942 participantes passaram a investir em títulos públicos. O número de investidores cadastrados – ativos e não ativos – totalizou 5.945.793 pessoas.

No mês passado, os títulos mais vendidos foram vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia). Esses papéis concentraram 55,7% das vendas em janeiro. Em segundo lugar, vieram os papéis corrigidos pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que responderam por 29,9% das vendas.

 

tesouro direto...simulador de tesouro direto

Em terceiro, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos antecipadamente), que responderam por 14,4% das vendas. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 1 mil concentraram 67,7% do volume aplicado no mês.        tesouro direto…ibovespa hoje

Com o resultado de janeiro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto teve leve queda de 0,59% em relação a dezembro, alcançando R$ 59,295 bilhões.

Isso ocorreu porque, no mês passado, o Tesouro resgatou R$ 3,005 bilhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas possam adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros.

O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

5 Benefícios Que Só o Tesouro Direto Possui

Tesouro Direto é com certeza “o investimento do momento” e você provavelmente já deve saber disso. Sua grande fama é um reflexo do equilíbrio dos pilares centrais de um investimento que ele pode proporcionar.

Obviamente, como qualquer outra aplicação, é necessário um estudo, planejamento e definir uma estratégia antes de investir nele. Não tendo esses pontos bem claros, é muito fácil se prejudicar nesse mercado. Aplicações financeiras não podem ser feitas por impulso, mas sim por raciocínio lógico.      tesouro direto…ibovespa hoje

Entretanto, não há dúvida de que ele é altamente competitivo no mercado e muito chamativo. É até possível dizer que ele é uma das melhores formas de se começar a investir.

Entenda conceitos

Antes de qualquer coisa, vamos entender alguns pontos importantes:

Tesouro Nacional: é a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) que pertence ao Ministério da Fazenda. É responsável pela dívida pública do Brasil e controla o “caixa” do Governo, emitindo Títulos Públicos.

= Tesouro Direto: é a plataforma online cuidada pela BM&FBOVESPA. É utilizada pela STN para realizar a negociação dos Títulos Públicos e enviar os extratos de investimentos mensais aos seus investidores.

= Título Público: é uma forma de “comprovante” que uma pessoa recebe ao comprar parte da dívida do Governo. Antigamente, era um papel parecido com um diploma, que comprovava que o Governo havia uma pendência com você. Hoje em dia, é apenas de forma eletrônica com um prazo de validade determinado.

= Instituição Financeira: é responsável por transferir os valores e Títulos Públicos entre o Tesouro Direto e o (a) Investidor (a), além de recolher o Imposto de Renda (IR) e abrir o cadastro de quem irá investir.

Traduzindo: ao comprar um Título Público pela plataforma do Tesouro Direto, você está ajudando o Governo a pagar suas dívidas. Como retribuição, você recebe no vencimento do título o valor investido mais um rendimento.

Esse rendimento pode variar, dependendo do título adquirido e da instituição financeira escolhida. Cada título possui um índice diferente como referência e cada instituição possui uma Taxa de Manutenção cobrada.

ASSUNTO RELACIONADOS:

tesouro direto…ibovespa

tesouro direto…simulador de tesouro direto

Tesouro Direto: curso de tesouro direto

Curso de Tesouro Direto – Carteira Rica

1 – Tesouro Direto é a maior segurança do mercado

Os títulos públicos são totalmente garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, pelo Governo Federal. Isso faz dele a aplicação mais segura que o mercado pode oferecer.

Além disso, é possível mudar a instituição financeira que você utiliza como intermédio para aplicações e sem colocar em risco sua aplicação.

Esse atributo é possível porque os títulos públicos são registrados em seu nome, não da instituição financeira intermediária.

Sendo assim, o título não fica armazenado no sistema da instituição financeira, e sim no ambiente da BM&FBOVESPA. O seu título está apenas sendo “cuidado” pela instituição escolhida. E como as negociações são realizadas no ambiente da BM&FBOVESPA, as corretoras são auditadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Essa autarquia governamental reforça a segurança, diminuindo risco de fraudes. Caso você encontre algum problema, eventualidade ou benefício que te faça mudar de instituição financeira, não tenha medo e faça a mudança como desejar. Seu direito está garantido!        tesouro direto…ibovespa hoje

2 – Tesouro Direto é o mais acessível dentre as plataformas

R$ 30,00 é tudo o que você precisa para vincular um título do Tesouro Direto à sua carteira de investimentos. Esse valor é bem menor que o de costume em Fundos de Investimento.

Como também se trata de um investimento fácil, você não precisa ser um(a) megainvestidor(a) experiente ou um(a) multimilionário(a) para começar.

Qualquer pessoa com CPF – ou seja, Pessoa Física – que possua uma conta aberta em uma instituição financeira habilitada pela CVM pode investir no Tesouro Direto. Simples, rápido e prático!

 

3 – Tesouro Direto tem a maior facilidade para se investir

Investir no Tesouro Direto é a coisa mais fácil que existe!

Primeiro: porque a maioria dos bancos varejos – que são os mais conhecidos e usados – já possuem suas próprias corretoras. Portanto, são habilitados para aplicações no Tesouro Direto. Além deles, existem diversas corretoras independentes que também são habilitadas para essa operação e podem lhe assessorar muito bem.

Essas instituições gigantescas do mercado financeiro permitem diversas operações online. Isso é bom porque todas as transações de compra e venda dos papéis podem ser feitas pela internet.

Algumas corretoras, inclusive, aceitam a transferência de recursos via boleto bancário. Essa opção é mais indicada para títulos de curto prazo. Dessa maneira, o custo com o investimento é reduzido, evitando gastos com DOC e TED para aplicação e resgate dos títulos.

4 – Tesouro Direto tem menor custo, comparado a Fundos de Investimento

Já sabemos que para negociar um Título Público, é necessário ter um cadastro em uma corretora. O que vai diferenciar uma corretora de outra é o custo da sua Taxa de Manutenção de seus investimentos.

A taxa das instituições financeiras geralmente varia de 0% a 2% ao ano e é independente do valor investido.

Juntamente com a Taxa de Manutenção, há a Taxa de Custódia da BMF&BOVESPA de 0,3% ao ano. Essa taxa, por sua vez, é referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos;

Escolhendo a instituição financeira mais adequada para você, com certeza conseguirá um ótimo custo benefício sobre seus títulos.        tesouro direto…ibovespa hoje

 

5 – Equilíbrio dos pilares centrais de um investimento

Como dito logo no começo do artigo, o Tesouro Direto proporciona um ótimo equilíbrio dentre os investimentos que conhecemos.

Obviamente, os Títulos Públicos não conseguem um ganho de rentabilidade tão alto como ações na Bolsa de Valores. E também não tem uma ótima liquidez como a Poupança.

Porém ele consegue equalizar os 3 pontos principais que todos procuram:

= Um rendimento que acompanha a taxa Selic ou IPCA;
= Realizar a compra ou venda diariamente e a preço de mercado;
= Garantir sua segurança financeira, como dito no primeiro tópico.
Agora você entende o porquê do Tesouro Direto ser o investimento mais procurado do momento, não é? Se quiser saber mais, tem também esse Guia Completo sobre Tesouro Direto.

Mas não se esqueçam: é preciso ter muito bem alinhado o seu Perfil de Investidor. Sua carteira de investimentos é muito importante e seus objetivos e estratégias devem ser seguidos rigorosamente.

Índices de renda fixa: como eles afetam seus investimentos?

Assim como aplicações em renda variável, investimentos em renda fixa também tem referenciais, que refletem o mercado e são indicadores de rentabilidade. É importante conhecer os principais índices de renda fixa antes de definir os investimentos de sua carteira. Mas se você não conhece quais são eles, não tem problema: a Bússola do Investidor te ensina!

O que são índices de investimento?

Os índices são indicadores de desempenho de ativos financeiros. Eles funcionam como um termômetro, acompanhando o mercado e determinando quanto está a rentabilidade de cada investimento. Ativos atrelados ao CDI, por exemplo, possuem rendimento determinado pela variação do índice e ativos atrelados à Selic dependem da taxa de juros básica para render.        tesouro direto…ibovespa hoje

Quais são os principais índices de renda fixa?

O principal índice no mercado de renda variável é o Ibovespa, que cresceu velozmente em 2019. Mas os indicadores de mercado não existem apenas em renda variável. Confira os principais índices de renda fixa.

CDI

O CDI, ou Certificado de Depósito Interbancário, é uma transação diária entre bancos para que eles mantenham o saldo em caixa positivo. A Taxa CDI reflete os juros incididos sobre esse empréstimo financeiro e determina o rendimento mensal e anual de diversos investimentos – por isso ela é tão importante. Por exemplo, se o CDI em 2018 foi 6,4% ao ano e determinado ativo rendeu 100% do CDI, esse ativo rendeu 6,4% no ano.

IMA – Geral

O Índice de Mercado ANBIMA não é apenas um, mas um conjunto de índices calculados diariamente que representam a rentabilidade de títulos públicos em mercado no Brasil. Por isso, o IMA é dividido em subíndices que se referem a cada tipo de título. O indicador é calculado com uma média ponderada dos componentes dos índices e o período do cálculo.

O IMA e os índices que o compõem são referência para aplicações em ativos de renda fixa.

IMA-B

O IMA-B, da família dos índices de mercado da ANBIMA, acompanha títulos de renda fixa atrelados à inflação. Se o interesse é na compra de um título do Tesouro Direto IPCA+, por exemplo, vale acompanhar o IMA-B. Além disso, o indicador também possui outros integrantes, o IMA-B 5, que inclui títulos com prazo de até 5 anos, e o IMA-B 5+, que reúne títulos com prazo igual ou superior a cinco anos.

IMA-S

O IMA-S, indicador participante dos índices de mercado da ANBIMA (IMA) representa títulos pós fixados pela taxa Selic. como o Tesouro Direto Selic.

IRF-M

O Índice de Renda Fixa do Mercado é um indicador que funciona para títulos de renda fixa prefixados, composto por dois títulos públicos federais: as LTNs (Letras do Tesouro Nacional) e as Notas do Tesouro Nacional série F (NTN-F). Ele também contém dois subíndices, o IRF-M, com títulos de vencimento em até um ano, e o IRF-M 1+, com títulos com vencimento acima de um ano.

Renda Fixa: Pré ou Pós Fixada?

Você decidiu que quer começar a investir em produtos de renda fixa. Ótimo! Mas depois de muito planejamento e pesquisa, se depara com a dúvida: pré ou pós fixada?

Escolher o melhor investimento para você nem sempre é fácil. Quais são as diferenças entre as duas? Qual é a melhor opção? Qual é mais segura? Ao final deste texto, você saberá responder essas perguntas e assim poderá tomar uma melhor decisão.

Renda fixa: dois tipos de taxa

Como o próprio nome já diz, títulos de renda fixa são títulos com taxa de rentabilidade fixa. Ou seja, ao contrário da renda variável, é possível saber a taxa de rentabilidade antes de investir (mostrada em %). É o caso de títulos como o Tesouro Direto, CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito Agrícola) e Debêntures.

Por que investir em renda fixa?

A renda fixa, seja ela pré ou pós fixada, é um tipo de investimento seguro e popular. Grande parte dos títulos, como o CDB, LCA e LCI, são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), e caso a instituição entre em falência seu dinheiro estará garantido (até R$ 250 mil por CPF). Além disso, são fáceis de se aplicar e não necessitam de grandes montantes iniciais – para investir no Tesouro Direto é necessário apenas R$30! A taxa de rentabilidade fixa também garante maior segurança e estabilidade.

Mas atenção! Saber a taxa de rentabilidade não significa, necessariamente, saber o rendimento de seu título, ou o quanto você vai ganhar na prática. Essa é a principal diferença da renda fixa pré ou pós fixada.

Pré fixada e rendimento conhecido

Títulos prefixados são aqueles em que se já se sabe qual será o rendimento desde o início. A renda fixa prefixada não acompanha oscilações econômicas e mudanças por qualquer tipo de taxa.

Pós fixada e rendimento variável

Já títulos pós fixados, apesar de possuírem taxa de rentabilidade fixa, acompanham indexadores externos (índices de correção), como a SELIC, o IPCA ou o CDI. Na prática, isso significa que você só saberá quanto ganhará ao vencimento do seu título.

Pré ou pós fixada: qual a mais segura?

Títulos de renda fixa prefixada costumam ser pouco menos seguros. Caso a rentabilidade do prefixado seja inferior à inflação do período, perde-se poder de compra. Em um pós fixado, isso é mais difícil de acontecer, já que o título acompanha as oscilações econômicas do País e está protegido da inflação. Mas em momentos de queda de juros, a renda fixa prefixada pode ser uma melhor escolha e garantir um melhor rendimento.

Mas então, qual é melhor?

Depende. Antes de escolher entre pré ou pós fixada, é importante entender seu perfil de investidor, seus objetivos financeiros e a situação econômica do país.

Um título pós fixado pode ser mais recomendado para investidores conservadores, que toleram um nível de risco menor. Entretanto, pode render menos em momentos de maior inflação.

Se a inflação tende a cair, a dica é investir em renda fixa prefixada. Já se tende a descer, títulos pós fixados seriam mais interessantes. Também é importante ficar atento à liquidez do título. Sacar o dinheiro antes do vencimento em renda pré fixada pode ocasionar risco de perder dinheiro.

Mas não se preocupe: apesar de ser possível sim, perder dinheiro em títulos de renda fixa, eles ainda são de baixo risco e oferecem excelentes oportunidades para investidores iniciantes ou para quem deseja diversificar sua carteira de ativos.

Agora que você já sabe o que são títulos de renda fixa pré ou pós fixada, fica mais fácil escolher a melhor opção para você e seu momento atual. Para tomar melhores decisões e investir melhor, acompanhe os outros artigos aqui no Bússola do Investidor!

 

 

 

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto tesouro direto

 

Noticias Web

Noticia Web foi criado para trazer noticias relevantes a você, que quer ficar informado do dia dia do nosso Brasil e mundo. OBRIGADO