sintomas de depressão: tudo que precisamos saber

sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

 

Não se trata de frescura, nem preguiça, depressão é uma doença grave incapacitante que acomete mais de 300 milhões de pessoas de todas as classes sociais

Recentemente, o humorista Whindersson Nunes, que tem mais de 36 milhões de seguidores no Youtube, revelou, em suas redes sociais, seu desespero e confessou que já não tinha “tanta vontade de viver”.

Padre Fábio de Melo, também conhecido pelo seu bom humor, surpreendeu seus seguidores, em 2017, ao relatar ter passado por maus momentos decorrentes um quadro depressivo. “Fiquei praticamente uma semana trancado em casa, com sensação de morte, tristeza profunda e medo de tudo. Nunca chorei tanto na minha vida”, relatou a seus seguidores na época.

Após um longo tratamento com remédios e acompanhamento psiquiátrico, hoje ele procura controlar o quadro – não só de depressão, como também de síndrome do pânico e – por isso, anunciou recentemente que abandonaria seu perfil no Twitter. “Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável pra mim”, escreveu ao encerrar as atividades na conta.

O drama de famosos e anônimos acende a luz para um problema de saúde mental que atinge mais de 300 milhões de pessoas em todo o todo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mas como saber quando se trata de depressão ou apenas tristeza?

A depressão é muito mais do que tristeza. Essa última tende a ser passageira, geralmente, despertada por algum evento, como morte ou fim de relacionamento. Já a depressão trata-se de uma doença psiquiátrica de caráter crônico e com crises recorrentes.        sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

De acordo com o médico psiquiatra Fernando Fernandes, do Instituto de Psiquiatria da USP (IPQ), observar alguns sintomas pode dar uma pista de quando a tristeza faz parte de um quadro patológico. “Uma tristeza que não se resolve ao longo do tempo, muito desproporcional, sem motivos ou uma tristeza diferente de outras já vivenciadas diante de um problema semelhante são sinais que podem fazer pessoa suspeitar que aquilo não é uma tristeza normal”, explica.

E por mais que pessoas com depressão tenham sintomas parecidos, há níveis diferentes da doença, que vão de leve a grave com sintomas psicóticos. “Em geral, um jeito de medir a gravidade da doença é pela intensidade dos sintomas e pelo grau de incapacitação causada”, afirma Fernandes.

“Na depressão leve, a pessoa tem algum grau de prejuízo, mas vai tocando a vida. Para alguns, os sintomas podem parecer imperceptíveis. Na depressão moderada, os sintomas são evidentes e, na depressão grave, a pessoa tende à incapacidade”, completa o médico.

O que acontece no cérebro de um depressivo.

sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença
sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

A falta de reação típica de muitos quadros depressivos não é frescura, nem preguiça, muito menos estratégia para chamar atenção de familiares e amigos. Acontece que, na depressão, há um desequilíbrio químico no cérebro, que afeta áreas relacionadas ao humor, energia, prazer, sono, apetite, libido, memória, entre outros. E por mais que a pessoa queira reagir, ela não consegue tão facilmente.

Nesse quadro, os hormônios do estresse são tão atuantes sobre a saúde dos neurônios que chegam a provocar uma redução das dimensões do hipocampo, estrutura envolvida na memória e no controle de emoções.

Nem sempre está na cara.

Ao contrário do que podemos pensar, no entanto, a depressão não necessariamente está na cara. Nem sempre, ela vem acompanhada de choros constantes ou aparente tristeza.

Alguns quadros mantêm o chamado humor reativo, como explica Fernandes. “Se a pessoa está passando por um momento de maior descontração, ela pode até reagir com sentimentos bons, sorrir sinceramente, mas no instante seguinte volta a ficar triste. Esse tipo de depressão é bem relatado desde o final dos anos 50, hoje conhecido como ‘depressão atípica’”, comenta o psiquiatra do IPQ.

Isso também pode acontecer porque as pessoas podem mascarar os sintomas por falsas demonstrações de felicidade, conforme explicou Olivia Remes, especialista em ansiedade e depressão da Universidade de Cambridge, em um artigo para o Portal The Conversation.

“De fato, uma proporção significativa de pessoas que experimentam um mau humor e uma perda de prazer nas atividades consegue esconder sua condição dessa maneira. E essas pessoas podem ser particularmente vulneráveis ??ao suicídio”, comenta.    sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

Ela ainda diz que pode ser muito difícil identificar pessoas que sofrem de depressão atípica, ou ‘depressão sorridente’, termo que tem se popularizado. “Eles podem parecer que não têm motivos para ficarem tristes – eles têm um emprego, um apartamento e talvez até crianças ou um parceiro. Eles sorriem quando você os cumprimenta e pode levar conversas agradáveis. Em suma, eles colocam uma máscara para o mundo exterior enquanto levam uma vida aparentemente normal e ativa”.

treinamentos Online que ajudaram milhares de pessoas:

Despertar da Cura Quântica

Despertar do Amor

Kit Videos Motivação e Humor

Programa: Controle da Ansiedade em 4 Semanas

Reprogramação Mental – Coleção Completa 17 áudios

Sintomas.

A depressão é uma doença multissistêmica, pois afeta vários sistemas e órgãos do corpo. Os sintomas a seguir são os mais comuns e podem ser divididos em três grupos:

Emoções e sentimentos:

➥ Tristeza
➥ Angústia
➥ Ansiedade
➥ Baixa auto-estima
➥ Insegurança
➥ Medo

Cognitivos:

➥ Diminuição da concentração
➥ Diminuição da memória recente
➥ Dificuldades de retenção das informações
➥ Pensamento mais lento
➥ Ideias pessimistas
➥ Visão niilista a respeito de si, do mundo, do futuro e dos relacionamentos

Físicos:

➥ Alterações do sono
➥ Alterações do apetite
➥ Aparecimento de dores pelo corpo
➥ Redução da energia
➥ Fadiga

Como é feito o diagnóstico.

O diagnóstico é clínico, ou seja, é feito a partir da observação de um conjunto de sintomas que ocorrem concomitantemente na área dos sentimentos, emoções, pensamento e no corpo físico. “Não existe nenhum exame clínico (de imagem ou de laboratório) que possa fazer o diagnóstico da doença, nem descartá-la”, explica o médico.

Tratamento.

sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença
sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

Embora possa ser um distúrbio grave, há tratamento para depressão por meio de psicoterapia, medicamentos antidepressivos ou uma combinação de ambos, dependendo da gravidade.

Metade dos casos, de acordo com Fernandes, não responde de uma maneira satisfatória à primeira medicação, sendo necessário, em algumas vezes, ajustes de doses e remédios. “Ao combinar todas as estratégias disponíveis, em 80% dos casos restaura-se a vida normal da pessoa, deixando-a livre dos sintomas. E nos 20% restantes, consegue-se uma melhora muito grande, diminuindo a incapacitação e os riscos “, afirma Fernandes.

Ainda há outras modalidades de tratamento com grau de evidência de eficácia, como a estimulação magnética, a fototerapia (tratamento de luz) e a eletroconvulsoterapia, em casos mais graves.

A prática de exercícios físicos, sobretudo os aeróbicos, que liberam endorfina (hormônio do prazer), também podem ajudar. “Medidas de melhoria do estilo de vida são importantes, não só na depressão, como em qualquer doença”, destaca o médico.        sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

É importante que ao menor sinal da doença, a pessoa busque ajuda. É possível fazer um acompanhamento com um médico de família gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Os centros de Atenção Psicossocial (CAPS) também atendem todos os casos de depressão, mas são especialmente formulados para os níveis moderados ou graves.

O que você pode fazer se acreditar que está deprimido.

O site da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) sugere as seguintes ações:

➥ Converse sobre os seus sentimentos com uma pessoa de confiança. A maior parte das pessoas se sente melhor depois de conversar com alguém que se preocupa consigo.
➥ Busque ajuda especializada. Um profissional de saúde ou médico local é um bom começo.
➥ Lembre-se que, se receber cuidados adequados, você poderá melhorar.
➥ Continue a realizar as atividades das quais você gostava quando estava bem.
➥ Preserve as suas relações pessoais. Continue em contato com sua família e amigos.
Faça exercício regularmente, mesmo que seja apenas uma caminhada curta.
➥ Procure comer e dormir regularmente.
➥ Aceite o fato de que você talvez tenha depressão e ajuste as suas expectativas. Você talvez não consiga realizar tanto quanto realizava anteriormente.
➥ Evite ou limite o consumo de álcool e abstenha-se de drogas ilícitas, pois podem piorar a depressão.
➥ Se tiver pensamentos suicidas, contate alguém imediatamente e peça ajuda.

Assunto Relacionados:

Quais são os principais tipos de depressão?

Depressão: causas, sintomas físicos, tratamentos

o que causa depressão!! gatilhos e os mistérios

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DA DEPRESSÃO NO ORGANISMO

10 coisas que as pessoas com depressão querem que você saiba

Viver com depressão é como estar em um mundo sem cores, em um quarto escuro e abafado, em uma manhã cinzenta de domingo, em um lugar isolado. A depressão é uma doença muito mais comum e séria do que a maioria das pessoas imagina, é muito mais do que uma simples tristeza ou melancolia. Ela afeta negativamente como nos sentimos, pensamos e agimos.

A depressão pode levar a uma variedade de problemas emocionais e físicos e pode diminuir a capacidade de uma pessoa funcionar no trabalho e em casa.

A jovem escocesa Dionne McFarlane compartilhou sua experiência de viver com depressão. Veja abaixo o que ela gostaria que todas as pessoas à sua volta entendessem:

1) Não podemos simplesmente sair disso.

ocê não pode simplesmente sair da depressão – é impossível. Eu descreveria a depressão como se eu estivesse me sentindo afogada – não importa o quanto você tente revidar, isso te domina e não há nada que você possa fazer. A depressão parece uma batalha constante e é exaustiva.

2) Nem sempre temos uma razão para nos sentirmos deprimidos.

Isso é algo que eu notei que outros acham difícil de entender. Para alguém que nunca teve depressão, pode ser fácil supor que isso é causado por algum evento na vida. A depressão pode, sim, ser desencadeada por eventos da vida, como luto ou a perda do emprego, mas nem sempre tem que haver um motivo pelo qual alguém está deprimido. A depressão pode afetar qualquer pessoa e é uma doença. Eu costumava achar que antes que as pessoas entendessem sobre minha depressão, elas costumavam esperar que houvesse uma razão por que eu estava me sentindo fraca e tendo um dia ruim quando não havia uma razão e eu não conseguia explicar porque eu me sentia da maneira como eu estava me sentindo.      sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

3) Eu não quero te machucar.

Para amigos e familiares, pode ser difícil ver alguém que você ama sofrer de depressão, e pode ser difícil entender como ajudar e o que fazer. A depressão é uma doença muito egoísta e acho que muitas vezes podemos afastar as pessoas para protegê-las. Com a depressão, também há sentimentos de culpa e medo de decepcionar as pessoas. Podemos levar as coisas pessoalmente ou dizer algo que é horrível, mas não queremos dizer isso. Pode ser difícil amar e cuidar de alguém com depressão, mas ficar ao lado de alguém e mostrar-lhe amor e carinho incondicional é uma das melhores coisas que você pode fazer por nós.

4) Depressão e estar triste não são a mesma coisa.

sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença
sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

Depressão e tristeza significam duas coisas diferentes. A tristeza é uma emoção normal e, se algo de ruim acontecer, você pode se sentir triste, mas a tristeza aumentará depois de alguns dias. No entanto, a depressão é uma tristeza persistente – pode durar semanas, meses ou até anos. Isso pode afetá-lo de várias maneiras, como mudar sua personalidade, interesses e a maneira como você vê o futuro.

5) Depressão não é uma escolha.

Nós não escolhemos ficar deprimidos. Pode afetar várias coisas em sua vida, como relacionamentos, trabalho e educação. Nós não escolhemos ter um humor ruim o tempo todo. A depressão está fora do nosso controle, não podemos fazer nada para impedir que isso aconteça conosco. Nós não somos fracos porque temos depressão.

6) Podemos nos sentir como um fardo.

A depressão pode nos fazer sentir um inconveniente para os outros, levando-nos a querer nos isolar e evitar conversar com os outros. Quando nos sentimos mal, podemos evitar outras pessoas, a fim de esconder como nos sentimos de nossa família e amigos. É quando amigos e familiares precisam ser compassivos e tranquilizar seus entes queridos que eles não são um fardo para eles. Ao nos informar que podemos conversar com você sobre como estamos nos sentindo, podemos ter uma sensação de segurança e apoio à nossa volta.

7) Conquistas que você vê como pequenas são grandes para mim.

Alcançar metas que estabelecemos para nós mesmos nos deixa orgulhosos. Objetivos de outras pessoas podem ser obter notas altas ou conseguir um emprego, mas às vezes apenas sair da cama ou falar com alguém sobre como você está se sentindo é uma conquista. Tenha orgulho de nós quando atingirmos esses objetivos. Essas conquistas nos aproximam da recuperação e algum dia seremos capazes de alcançar coisas maiores, mas por enquanto é para colocar um pé na frente do outro e conseguir pequenas coisas para nos dar essa sensação de realização.

8) Ainda podemos ter alguns bons dias.

Nem sempre estamos tendo dias ruins, ainda podemos ter um bom dia. Ainda podemos ter dias que são difíceis, mas também podemos ter dias em que nos sentimos bem e somos capazes de fazer as coisas. As pessoas pensam que a depressão é ter dias ruins. A verdade é que os humores flutuam bastante. A depressão é uma mistura de bons e maus dias. Uma das minha citações favoritas é a seguinte: “Todo dia pode não ser bom, mas há algo de bom em cada dia”.

9) Agradecemos suas palavras gentis e como você está tentando ajudar.

Pode ser difícil saber o que dizer e o que fazer para ajudar. Às vezes, oferecer algumas palavras gentis pode ser útil. Pode ser difícil para nós mostrar sentimentos de gratidão, mas a gentileza mostrada realmente significa muito para nós.

10) Estamos tentando o nosso melhor para passar por isso.

Depressão é algo que temos que trabalhar. Eu aprendi que a recuperação não é algo que você escolhe uma vez – você tem que escolher uma e outra vez. Não podemos simplesmente deixar ir e ignorar a depressão, ela tem que ser tratada adequadamente por um profissional médico. Se tivermos que usar terapia e/ou medicação como forma de trabalhar com a depressão, por favor, fique do nosso lado. Não há vergonha em pedir ajuda. A depressão pode nos fazer sentir isolados e solitários e ter alguém ao nosso lado pode nos fazer sentir menos sozinhos.

Pessoas com depressão usam estas palavras com mais frequência.

Um novo estudo divulgado na publicação científica Clinical Psychological Science mostra que pode haver uma maneira de identificar se uma pessoa está sofrendo de depressão simplesmente prestando atenção nas palavras que ela mais usa.      sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

Analisando fóruns online de saúde mental e até mesmo relatos em diários, a pesquisa descobriu que as pessoas que sofrem desse mal tendem a ter padrões de linguagem semelhantes.

De acordo com os pesquisadores, pessoas deprimidas usam uma quantidade excessiva de palavras que transmitem emoções negativas, especificamente adjetivos e advérbios, como “solitário”, “triste” ou “miserável”.

Além disso, essas pessoas também usam bastante pronomes como “eu” e “meu”. Já pronomes como “eles” e “nós” são menos utilizados. Isso sugere, segundo a pesquisa, que essas pessoas se sentem isoladas dos outros e focam a atenção somente nelas mesmas.

Outro alerta vermelho é quando a pessoa usa muito palavras como “sempre”, “nunca” ou “completamente”. Segundo a pesquisa, elas estavam mais presentes nos fóruns analisados do que palavras de emoção negativa.

Sintomas da depressão.

sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença
sintomas de depressão: tudo que precisamos saber sobre a doença

A depressão é muito mais do que tristeza. Essa última tende a ser passageira, geralmente, despertada por algum evento, como morte ou fim de relacionamento. Já a depressão trata-se de uma doença psiquiátrica de caráter crônico e com crises recorrentes.

A doença é multissistêmica, pois afeta vários sistemas e órgãos do corpo. Os sintomas a seguir são os mais comuns e podem ser divididos em três grupos:

Emoções e sentimentos:

➥ Tristeza
➥ Angústia
➥ Ansiedade
➥ Baixa auto-estima
➥ Insegurança
➥ Medo

Cognitivos:

➥ Diminuição da concentração
➥ Diminuição da memória recente
➥ Dificuldades de retenção das informações
➥ Pensamento mais lento
➥ Ideias pessimistas
➥ Visão niilista a respeito de si, do mundo, do futuro e dos relacionamentos

Físicos:

➥ Alterações do sono
➥ Alterações do apetite
➥Aparecimento de dores pelo corpo
➥ Redução da energia
➥ Fadiga

O tratamento para a depressão é feito por meio de psicoterapia, medicamentos antidepressivos ou uma combinação de ambos, dependendo da gravidade.

 

Noticias Web

Noticia Web foi criado para trazer noticias relevantes a você, que quer ficar informado do dia dia do nosso Brasil e mundo. OBRIGADO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *