divorcio consensual : Reconciliação após o divórcio

Reconciliação após o divórcio, é possível.

Reconciliação após o divórcio? será que é possível sim! O divórcio é uma parte dolorida de qualquer relacionamento. Consiste no rompimento dos laços matrimoniais de um casal.

Assim como a reconstrução e readaptação de uma família a um meio diferente daquele cujo qual ela era acostumada a viver. Tornando-se um processo doloroso e muito difícil para ambas as partes.

A reconciliação após o divórcio é muito comum em casais que passaram algum tempo separados. E que após análise de suas vidas, decidem retomar o enlace matrimonial.

Entretanto, para muitos, essa também se torna uma situação difícil, afinal de contas, em uma separação há sempre a dor dos filhos do casal e dos familiares. Além do desgaste emocional, e do despendimento de em favor da ação de divórcio.        divorcio consensual : Reconciliação após o divórcio

Tudo isso, aliado, muitas vezes, à entrada de terceiros na relação, se torna para muitos, a reconciliação após o divórcio mais difícil, mas, não impossível.

Por que as pessoas separam? Não existe mais amor?

Antes de falarmos sobre reconciliação após o divórcio, primeiramente devemos discorrer sobre por qual motivo as pessoas se separam.

A falta de amor entre um casal pode ser o elemento fundamental para sua separação. Entretanto, a maioria das pessoas não se divorcia pela falta de amor. Mas pelo fato de que não sabe lidar com as situações adversas ao amor.

Quando um casal se casa, o amor precisa sobreviver às pressões do dia-a-dia, à rotina, aos boletos, à falta de luxo, à vinda de filhos, cachorros, papagaios e periquitos. Aliado ao mau humor do companheiro e à impaciência da companheira.

As brigas passam ser rotina, e um dos dois acaba “se fechando”, existe então a dor e o ressentimento dentro da relação. Abrindo um imenso espaço para a chamada “solidão à dois”, onde o casal vive apenas de aparências e em função dos filhos. E é claro dos bens adquiridos desta união.

O ponto final.

O que era bom passa a não ter mais prazer, e a companhia do outro passa a ser suportada, a cama de casal passa a ser uma cama fria. Onde muitas vezes há sexo, em um momento que o desejo carnal fala mais alto, mas já não existe mais respeito ou amor.

Ou pior, a intimidade do casal é totalmente rompida, não existe aquela vontade de estar no outro, de sentir o outro. E nesse imenso vazio da cama, os filhos podem tomar conta, e a relação ser dada como morta.

Não muito longe disso, um terceiro elemento passa a fazer parte da família, um elemento oculto, que traz de volta o sonho e a ilusão de uma paixão. Neste sentido, é ilusão mesmo, é a vontade de sentir o cônjuge que se manifesta em uma terceira pessoa. Nessa hora, ambos os parceiros sentem que acabou mesmo.        divorcio consensual : Reconciliação após o divórcio

Acabou…. E agora o que fazer?

Aí é aquela hora chata, onde muita gente já passou, é hora onde a união se torna dissolução. Onde o sorriso dá espaço para o choro (mesmo que muitas vezes a outra pessoa pareça muito feliz). Finalmente chega o dia onde aquelas duas partes que antes eram uma se separam.

divorcio consensual : Quero mim separar

Mas como falar de reconciliação após o divórcio se não existe amor?

A verdade é que uma separação e todo esse processo, não aconteceu por falta de amor. Mas sim, por falta de maturidade, de interação, de conversa e de compreensão.

O amor não acabou, mas a tolerância e a sabedoria sim.

E quando se percebe que o divórcio não foi a solução?

A reconciliação após o divórcio deve ser pensada quando realmente uma casal. Após passar por toda esta experiência, começa a enxergar onde errou, e perceber que tudo aquilo que viveu não era falta de amor. Mas sim de experiência!

Há quem se case, uma, duas, dez vezes, mas não aprende a verdadeira essência da união. A reconciliação após o divórcio, consiste em saber que tudo aquilo que foi destruído, por imaturidade de ambos, pode ser novamente reconstruída.

Mas este, também é um processo lento, como se fosse uma metamorfose na vida do casal. Afinal de contas, não é possível pegar todo ódio, frustração, mágoa e dor, colocar em um saco de lixo e botar na beira da rua esperando para que o próximo caminhão de lixo leve embora.

A reconciliação após o divórcio é algo que requer trabalho e esforço. Por parte daqueles que entendem que lutar pelo amor e pela família ainda vale à pena.        divorcio consensual : Reconciliação após o divórcio

Em alguns casos, o amor realmente acabou por parte de ambos, ou de apenas um, nesses casos, lutar sozinho não vale à pena. A dica então, é seguir em frente e esperar que a dor passe, por mais que ela insista em ficar, um dia ela vai passar.

Mas para aqueles que descobriram que podem realmente tentar reestabelecer esta união, a reconciliação após o divórcio é possível.

Reconciliação após o divórcio – como consertar o que foi rompido.

Um grande erro na maioria das pessoas que tentam reconciliação após o divórcio é voltarem para o relacionamento exatamente como o deixaram. Entupidas com os piores sentimentos e mágoas, o que resultará em uma união doentia que fará com que ambos sofram. Neste sentido, seguir estas dicas poderão fazer com que a reconciliação seja efetiva:

Saiba perdoar.

Se o casal viu que é possível a reconciliação após o divórcio, é importante que eles entrem nesta relação com o “coração limpo”. Saber perdoar é o primeiro passo, esqueça tudo de ruim que vocês viveram até aqui. Guardem apenas as lembranças boas, afinal de contas, é por causa delas que ainda existe amor, o perdão deve vir em primeiro lugar. Caso contrário, esta tentativa será uma perca de tempo para ambos.

Ame-se para poder amar.

Um dos grandes problemas de um casal, muitas vezes é a falta de amor por si próprio de um dos casais. Isso resulta em uma condição de autodepreciação e exploração, muitas vezes inconsciente por parte do outro. Por isso, em uma reconciliação após o divórcio é preciso amor próprio, que você possa atender as necessidades de quem você ama.

Sinceridade acima de tudo.

Os relacionamentos duradouros se baseiam na sinceridade de ambos. Quantas coisas foram escondidas no casamento? Sentimentos, lugares, pessoas…. A reconciliação após o divórcio deve ser acompanhada de muita sinceridade, é preciso falar o que incomoda e o que não dá certo, o seu parceiro (a) deve ser o primeiro a saber disso, não delegue esta informação a mais ninguém.

Respeito acima de todas as coisas.

O amor é muito importante para uma relação, mas é através do respeito que ele se torna mais forte. Em uma reconciliação após o divórcio o respeito deve ser a palavra de ordem, muitas frustações e mágoas podem ser evitadas com uma atitude respeitosa

A reconciliação após o divórcio é possível. Para isso, é importante que ambas as partes saibam o que realmente querem, o quanto querem e como querem. Para que esta seja uma realidade em suas vidas.

Reatando após o divórcio

Reconciliar-se com o ex-marido, ou com a ex-mulher, pode ser uma decisão tão difícil quanto o próprio divórcio. Afinal, já está cada um de um lado, ambos já passaram pelo stress envolvido na divisão de bens e na assinatura dos papéis. Se o casal tiver filhos pequenos, a situação fica ainda mais delicada: como e quando contar para as crianças?

Muitos casais ficam em dúvida sobre qual o próximo passo a ser dado, depois que os dois decidem que querem tentar novamente. Para que a nova vida a dois seja saudável, uma das dicas é: conversar, muito – algumas vezes, com apoio de um psicólogo. Leia mais sobre o assunto:          divorcio consensual : Reconciliação após o divórcio

O que deve ser avaliado ao reatar um casamento?

Depois de um período separado, é normal que o casal sinta falta da antiga vida a dois. Da companhia, dos momentos agradáveis e até dos amigos em comum – que tendem a escolher um ou outro lado. Também é normal que os motivos da separação tenham sido esquecidos com o passar do tempo, o que pode ser perigoso, caso os dois decidam que querem ficar juntos novamente.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões de relacionamentos ou terapia de casal? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Antes de tudo, é preciso avaliar: qual é o real motivo da reconciliação? Se forem financeiros ou relacionados à carência, por exemplo, reatar pode não ser uma ideia tão boa quanto parece. É preciso que o motivo de ambas as partes esteja claro, para garantir que ele justifique uma nova tentativa.

Também é essencial que o casal discuta os motivos que levaram à separação – antes de encerrar o assunto de vez. Para que o novo casamento seja mais saudável, é preciso muito diálogo entre os dois. A ajuda de um psicólogo pode ser fundamental nessa hora: este é um profissional apto para guiar as conversas do casal, garantindo que elas fluam da melhor forma possível.

E se houve traição?

Não são raros os casos de casamentos que terminam porque houve traição. É possível reatar um relacionamento depois que algo assim acontece, mas é muito importante que a pessoa traída, de fato, perdoe o companheiro. Caso contrário, este é um assunto que pode se tornar recorrente nas discussões do casal – algo que não é saudável para nenhum relacionamento. Mais uma vez, um psicólogo é essencial para que o casal fale sobre os seus sentimentos e encontre a melhor maneira de contornar, juntos, a situação.

É importante saber que, quem reata depois de um divórcio, não recomeça do mesmo ponto em que parou, mas começa uma nova vida a dois. Para isso, é preciso, antes, resolver todos os problemas do passado que levaram ao divórcio.

Noticias Web

Noticia Web foi criado para trazer noticias relevantes a você, que quer ficar informado do dia dia do nosso Brasil e mundo. OBRIGADO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *