Coronavírus : coronavirus covid-19

Coronavírus : coronavirus covid-19

 

 

Coronavírus: como diferenciar sintomas da covid-19 de uma gripe, um resfriado ou uma rinite?

Chegada do vírus no Brasil no início das estações mais frias causa confusão sobre sintomas respiratórios e sobre quando buscar ajuda.        Coronavírus : coronavirus covid-19

Com a disseminação do novo coronavírus no Brasil se intensificando às vésperas do outono, aumentaram as dúvidas sobre os sintomas da doença covid-19, que, na maioria dos casos, são semelhantes aos de uma gripe comum.

No Google, termos como “coriza” e “espirro” também têm sido mais buscados em associação com a expressão “sintomas do coronavírus” no último mês, o que pode indicar uma confusão também entre a covid-19 e outras síndromes respiratórias brandas como o resfriado e a rinite alérgica.

“As pessoas precisam estar cientes de que a covid-19 é realmente um tipo de gripe, então ela tem realmente muitos sintomas em comum”, disse à BBC News Brasil o infectologista da Fiocruz Recife Paulo Sergio Ramos.

“Mas elas precisam ficar atentas para uma possível dificuldade de respirar. Isso sinaliza que a doença pode estar se complicando, e aí é necessário buscar um serviço de saúde.”

No Brasil, as pessoas não devem procurar unidade de saúde se tiverem apenas tosse, apenas coriza, apenas coriza e mal-estar ou sensação de moleza no corpo ou apenas febre, segundo o Ministério da Saúde.

E quem precisa ir ao hospital? Só quem apresentar os sintomas mais graves, como dificuldade para respirar, respiração curta ou falta de oxigenação — que já podem ser sinais de pneumonia, um dos estágios mais graves da covid-19.

As autoridades alertam, no entanto, que é preciso se informar sobre os protocolos de saúde do seu Estado ou município.

 

 

Como diferenciar?

Coronavírus : coronavirus covid-19

A doença que o vírus Sars-Cov-2 provoca, a covid-19, é uma infecção respiratória que começa com sintomas como febre e tosse seca e, ao fim de uma semana, pode provocar falta de ar.

De acordo com uma análise da OMS baseada no estudo de 56 mil pacientes, 80% dos infectados desenvolvem sintomas leves (febre, tosse e, em alguns casos, pneumonia), 14% têm sintomas graves (dificuldade em respirar e falta de ar) e 6%, quadros críticos (insuficiência pulmonar, choque séptico, falência de órgãos e risco de morte).

Mas, nessa época do ano, também é comum apresentar tosse, febre, dores na garganta e na cabeça e sensação de fadiga por causa dos vírus da influenza, que provocam as gripes comuns.

De acordo com os especialistas, os sintomas devem ser monitorados e, caso permaneçam leves, podem ser tratados em casa.

No entanto, é preciso ter especial atenção a idosos e pessoas com baixa imunidade, mais vulneráveis ao novo coronavírus, e consultar um médico em caso de dúvidas.

“A gripe normalmente é a única que nos faz sentir dores musculares. E costuma durar entre três e cinco dias. Essas podem ser indicações de que se trata de um vírus comum”, disse à BBC Brasil Heloisa Ravagnani, presidente da Sociedade de Infectologia do Distrito Federal.

No caso do resfriado, os sintomas costumam ser ainda mais brandos e, em geral, apenas respiratórios — coriza, congestão nasal, tosse e dor de garganta, mas nem todos ocorrem ao mesmo tempo.

“Caso a pessoa esteja tossindo e tenha outros sintomas leves, não deve esquecer de usar máscara ao entrar em contato com outras pessoas e de higienizar bem as superfícies com as quais tiver contato. Ela pode não ter covid-19, mas, em um momento como esse, todo cuidado é bem-vindo”, diz a infectologista.

 

 

Não é corona, é rinite’

Nos últimos dias, alérgicos têm se justificado nas redes sociais pela frequência de espirros, ou expressado confusão com os sintomas de rinite alérgica sazonal e da covid-19.

Os comentários renderam memes como a frase “não é corona, é rinite”, que já virou até proposta de camiseta para os período de distanciamento social imposto pela pandemia.

As síndromes respiratórias alérgicas, comuns em períodos como outono e primavera, podem provocar coriza e congestão nasal, comuns a gripes, resfriados e à covid-19. Mas são marcadas normalmente por espirros, e dificilmente provocam tosse ou febre, explica Paulo Sergio Ramos.

“O importante é que as pessoas, mesmo sofrendo de alergia, resfriado ou gripe comum, mantenham a etiqueta respiratória. Ou seja, mantenham distância de 1 metro de outros espirrando ou tossindo; ao tossir ou espirrar, utilizem o antebraço ou um lenço, que deve ser descartado; e lavem sempre as mãos após tossir ou espirrar, para evitar disseminar outros vírus no ambiente”, alerta.

Seguir estas regras também é importante pelo fato de que, de acordo com o mais amplo estudo já feito até agora sobre o novo coronavírus, realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, 80% dos pacientes terão apenas sintomas leves.        Coronavírus : coronavirus covid-19

No entanto, há evidências científicas de que até mesmo uma pessoa sem sintomas pode transmitir o vírus.

Número de mortos na Itália por Covid-19 ultrapassa total de vítimas na China.

Coronavírus : coronavirus covid-19

Segundo balanço das autoridades italianas divulgado pela agência Reuters, a Itália registrou 3.405 mortes pelo novo coronavírus. Na China — considerando todo o país — o total de vítimas é de 3.245.

O número de mortes causadas pelo novo coronavírus na Itália ultrapassou nesta quinta-feira (19) o total de vítimas na China pela Covid-19.

Segundo balanço das autoridades italianas divulgado pela agência Reuters, a Itália registrou 3.405 mortes pelo novo coronavírus. Na China — considerando todo o país — o total de vítimas é de 3.245.

Ainda segundo autoridades italianas, o país europeu registrou 427 mortes somente em um dia. É um número levemente menor do que as 475 vítimas registradas na véspera. No total de casos da doença, a Itália tem 41.035, uma alta de 14,9% em apenas um dia.

Para conter a disseminação do novo coronavírus, o governo da Itália impôs restrições na circulação em todo o país. Italianos não devem sair de casa, a não ser em caso de extrema necessidade — na maioria dos casos, é preciso levar uma declaração de punho próprio para apresentar às autoridades, em caso de abordagem.

 

 

Exército retira corpos.

A Itália ordenou ao exército que retire corpos de uma cidade do norte do país que está no centro do surto de coronavírus onde os serviços funerários estão sobrecarregados, e o governo se prepara para prolongar medidas de interdição de emergência em todo o país.

Vídeos feitos por moradores de Bergamo, a nordeste de Milão, e exibidos no site do jornal local “Eco di Bergamo” mostraram uma longa fila de caminhões militares atravessando as estradas de madrugada e retirando caixões de um cemitério da cidade.

Um porta-voz do Exército confirmou nesta quinta-feira (19) que 15 caminhões e 50 soldados foram mobilizados para transferir corpos para províncias vizinhas. Mais cedo, autoridades de Bergamo haviam pedido ajuda com cremações por causa da sobrecarga em seu crematório.

 

 

China sem transmissão local.

A China anunciou nesta quinta-feira (19) que nas últimas 24 horas não registrou qualquer novo caso de Covid-19, mas verificou 34 casos de infectados que vieram do exterior. Trata-se da primeira jornada sem casos locais de contaminação desde que as autoridades locais definiram, em janeiro, os critérios de contagem.

 

 

Coronavírus: Bombeiros identificam seis suspeitas de Covid-19 no DF.

Coronavírus : coronavirus covid-19

Equipes do Corpo de Bombeiros atuaram no Aeroporto de Brasília e nas rodovias interestaduais. Todos com suspeita de coronavírus foram encaminhados ao Hospital Regional da Asa Norte

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal identificaram seis pessoas com suspeita de coronavírus nesta quarta-feira (18/3). A ação ocorreu nas rodovias interestaduais e no Aeroporto de Brasília com apoio de equipamentos que medem a temperatura corporal.

Durante a operação, foram feitos atendimentos com pessoas que apresentavam sintomas da Covid-19. Um dos casos foi de uma família, com cinco integrantes, que regressava de Miami. Eles foram atendimentos no aeroporto e encaminhados para o Hospital Regional da Asa Norte.

O outro caso foi de uma pessoa que estava regressando de Goiânia pela BR-060. A equipe do Corpo de Bombeiros atuou numa blitz na rodovia. O caso suspeito foi encaminhado para o Hran.

A corporação tem orientado a população nas redes sociais com informações sobre os sintomas do coronavírus. Os sinais de alerta são: tosse seca, febre, coriza e quem teve contato com casos confirmados.

O Corpo de Bombeiros Militar contou com apoio de equipes da Policia Rodoviária Federal e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a operação que continuará por tempo indeterminado nas rodovias interestaduais e no aeroporto.

 

 

Coronavírus: conheça oito tecnologias que ajudam no combate à Covid-19.

Drones, robôs e até carros voadores auxiliam hospitais, autoridades e pacientes a enfrentarem a pandemia

Diversas tecnologias estão sendo utilizadas mundo afora para combater a pandemia da Covid-10, causada pelo novo coronavírus. Algumas delas ainda são novas e restritas a determinados países, mas estão em fase acelerada de testes e se mostram úteis para oferecer serviços em situação de isolamento. Enquanto isso, outras soluções mais comuns no mercado vêm ganhando importância em meios às precauções necessárias para conter o avanço da doença. Confira a seguir oito tecnologias que estão sendo adotadas para combater o novo coronavírus SARS-CoV-2.

 

 

“Doação” de processamento de placas de vídeo.

A Nvidia, conhecida fabricante de placas de vídeo, está convocando usuários a doarem o poder de processamento de suas GPUs para ajudar no combate ao coronavírus. Por meio do aplicativo Folding@home, qualquer usuário que tenha um PC equipado com uma placa GeForce pode contribuir. O sistema funciona como uma rede descentralizada de processamento de dados ligada a centros de pesquisa que desenvolvem estudos relacionados à pandemia.

O desenvolvimento de modelos de proliferação da Covid-19, por exemplo, é baseado em cálculos complexos que precisam do maior volume possível de processamento. Ao doar parte do trabalho do computador – e, consequentemente, energia elétrica – um PC gamer pode ajudar a processar um pequeno pacote de informações que ajuda a reduzir o tempo necessário para encontrar uma solução para a situação.

Drones pedindo à população para ficar em casa.

Coronavírus : coronavirus covid-19

Em alguns países da Europa e da Ásia, governos vêm usando drones para acelerar providências contra o coronavírus em espaços públicos. Na Espanha, onde vigora um decreto de estado de emergência que ordena o isolamento por 15 dias, a polícia usa os equipamentos para sobrevoar áreas onde pessoas ainda circulam e emitir um aviso sonoro para que todos fiquem em casa. Os drones ajudam especialmente na capital Madrid, cidade mais populosa e foco de infecção no país.

Na China, autoridades vêm lançando mão dos aparelhos para acelerar o processo de desinfecção das ruas. Eles viajam por cidades inteiras espirrando produtos de limpeza, como água sanitária, por exemplo, para garantir que traços do vírus sejam eliminados de todas as zonas, principalmente daquelas onde o exército de limpeza do governo chinês não consegue passar.

 

 

Diferentes tipos de robôs.

Foco do surto inicial do coronavírus, a China precisou da ajuda de robôs para evitar o contato entre as pessoas, especialmente entre pacientes e equipes de médicos e enfermeiros. Em um hotel onde mais de 200 pessoas ficaram isoladas em Hangzhou, no leste do país, um robô circulava pelos corredores para entregar comida na porta dos quartos.

Na Bélgica, a empresa de tecnologia Zorabots emprestou centenas de robôs de companhia para idosos em isolamento. A ideia é que, mesmo em casa durante a quarentena, as pessoas possam conversar com a família e os amigos por meio de videochamadas. As máquinas respondem a comandos de voz e podem acompanhar fisicamente o usuário pela casa, ajudando a melhorar a sensação de companhia.

5G e consultas remotas.

A conectividade 5G vem sendo chave na China e na Coreia do Sul para permitir o contato à distância. Em robôs, a rede de quinta geração é essencial para permitir o funcionamento de sistemas de inteligência artificial. Além disso, a baixa latência da tecnologia ajuda a operar equipamentos médicos via internet com alto grau de precisão.

A Huawei chegou a instalar novas antenas de 5G em território chinês para, entre outras coisas, aumentar a cobertura de sistemas avançados de teleconferência: um paciente pode, por exemplo realizar uma consulta online com imagens em alta qualidade mesmo sem acesso à fibra ótica.

 

 

Táxi voador para transportar suprimentos.

Drones com capacidade de levar carga também começaram a ser usados durante a crise provocada pela Covid-19. Na China, o táxi voador com decolagem e aterrissagem vertical eHang 216 é usado para transportar medicamentos de armazéns até hospitais sem a necessidade de um piloto. Equipado com 16 hélices e 16 motores, o veículo pode levar até 140 kg em trajetos de até 31 km de forma autônoma.

Ainda não se sabe se algo parecido será utilizado em países que também desenvolvem a tecnologia, como os Estados Unidos com a Uber, que tem o projeto do uberAIR, e a Alemanha, com a Volocopter.

 

 

Impressão 3D para peças em hospital.

Em Brescia, na Itália, um hospital não podia atender a demanda de 250 pacientes na UTI precisando de respiração artificial. Além da falta de respiradores, o problema estava no estoque limitado para a reposição de uma válvula que só dura oito horas contínuas de operação. Sem substituição frequente desse componente, os aparelhos não podiam ficar ligados por muito tempo.

Foi quando o hospital teve auxílio da comunidade de entusiastas da impressão 3D. Em três horas, já havia um modelo da peça e um protótipo pronto que os técnicos podiam testar nos respiradores. Em pouco tempo, o hospital tinha à disposição mais de 100 válvulas para usar, por um custo final de menos de 1 euro por unidade, provando que a tecnologia pode ajudar em meio à superlotação de leitos hospitalares e o desgaste acelerado de equipamentos.

 

 

Pagamentos por aproximação.

Os pagamentos por aproximação podem ajudar a evitar o contato na hora de fazer compras. Por meio de um chip NFC no cartão, o usuário pode comprar no débito ou crédito sem precisar tocar no terminal de pagamento e, principalmente, sem manusear dinheiro vivo. A tecnologia começou a se popularizar recentemente no Brasil e está disponível em alguns bancos, como o Nubank.      Coronavírus : coronavirus covid-19

A solução também pode ser adotada no celular. Com soluções como o Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay, o usuário pode pagar apenas aproximando o smartphone da maquininha, aprovando a compra com biometria. Seja com telefone ou cartão, a tecnologia é compatível com todos os terminais que trazem o símbolo “contactless”.

 

 

Terminais biométricos para detecção de sintomas.

Empresas especializadas em identificação biométrica já começam a oferecer mecanismos de detecção sintomas de coronavírus. Terminais inteligentes da chinesa ZKTeco, por exemplo, são capazes de rastrear sintomas da Covid-19 por meio de reconhecimento facial. Segundo a empresa, o equipamento leva apenas uma fração de segundo para determinar a temperatura de uma pessoa com um desvio de 0,5 grau. A aferição de temperatura também pode ser realizada por detecção de palma da mão à distância, ou seja, sem precisar tocar no aparelho.

Por enquanto, a tecnologia está sendo utilizada apenas em fábricas da empresa, mas, ao TechTudo, a assessoria afirmou que o aparelho estará no Brasil em breve. Além de rastrear sintomas, o reconhecimento avançado pode identificar os funcionários e descobrir se a pessoa está usando máscara de proteção, por exemplo.

Noticias Web

Noticia Web foi criado para trazer noticias relevantes a você, que quer ficar informado do dia dia do nosso Brasil e mundo. OBRIGADO